Saturday, May 10, 2008

LÍRIO

Lírio que meu rosto acarícia.
Meu cravo de liberdade.
Meu olhar de estrelícia.
Minha montanha de saudade.

Meu luar na rua escura
por onde vagueio aturdida.
Minha capa de ternura,
amor achado e perdido...

Meu poema, meu abraço,
andorinha, Primavera,
meu olhar, de olhar baço,
de olhar que por ti espera.

Fernanda,
Lisboa, 10 de Maio de 2008

11 comments:

gaivota said...

e por estar na terra das flores da europa, envio-te um ramo de tulipas, já que são a imagem deste país!
beijinhosssssssss

Deusa Odoya said...

Fernanda que poemaço!

Belo e singelo.

bjinhos
Deusa Odoya

xistosa said...

Em liberdade e ao luar é natural que perca e ache o amor.
São os jogos de amor ... num poema que apesar da espera, vai encontrar.
Mantenha o olhar!

Um bom fim de semana e obrigada por este momento.

poetaeusou . . . said...

*
olhai o lirio ...
da fernanda,
,
conchinhas de,
érico verissimo
,
*

A. Jorge said...

Belo "pensamento"!

Um beijo

Jorge

xistosa said...

Espero que tenha encontrado ... o lírio ...
A vida, se levada como penso que a leva, são só flores ...
É a vantagem de ter vivido.
Pelo menos é o que eu penso ...

Fernando Rodrigues said...

Lindissimo este poema Fernandinha
beijoka

Jorge P.G said...

Bem popular, ao jeito do Ary dos Santos do "Sol de Inverno" e de "Menina", e bem agradável!

Hoje visitei este.

Um abraço.
Jorge P.G.

elvira carvalho said...

Passei por aqui. Deixo-lhe um abraço

Viviana said...

Olá Fernandinha!

Sempre os seus belos poemas ´

aqui á nossa espera!

È um regalo!

Um abraço
viviana

mundo azul said...

Um delicioso poema!
Beijos de carinho e muita luz...