Monday, January 28, 2008

Nostalgia de ti

Mas que saudades eu sinto de ti,
Minha doce companhia de infância.
Contigo, que dias lindos eu vivi,
Dos quais ainda sinto a fragrância!

Esta nostalgia que me aperta por dentro,
Faz-me desejar a tua presença aqui;
Mas, só a recordação me resta, de momento,
Enquanto não me puder abraçar a ti…!

Foi…
Uma folha muito bela,
Aquela onde encontramos
Um amor fraterno
Muito puro e bonito,
Que vivemos,
Com toda a intensidade,
Em cada linha dessa folha…
Mas, outras vieram…
E essa?!
Ficou suspensa no tempo
E para toda a eternidade.
Apesar de,
Tantas vezes…
Em pensamento,
Em sonho,
E, com o coração a pulsar,
A abrir,
Com toda a doçura
Que ela merece…!


Fernanda

Monday, January 14, 2008

Encontrei-me comigo


Escalei uma montanha.
Subi ao ponto mais alto.
Respirei.
Esperava-me alguém.
Saudámo-nos.
Senti-lhe a voz da alma,
Naquela melodia calma,
Que respirava liberdade arejada,
Sobe a lua dourada.
Pareceu-me familiar.
Vi-me nela.
Não, não podia ser.
Eu…eu não era assim.
Talvez…talvez a outra parte de mim?!

A outra parte de mim,
De mim lutadora,
Que tinha chegado vencedora
Ao cume da montanha.

Sim, eu!
Encontrei-me comigo
No cimo da montanha,
Que me ofereceu abrigo
E me enalteceu pela façanha.

Lá construí uma fortaleza,
Fortaleza de mim…
Longe da mescla do sentimento,
Longe da tempestade de areia no deserto!


Fernanda